Publicado em Cicloturismo

Pedal na Serra da Graciosa

2o Dia.

Foram 13 horas de viagem do Rio de Janeiro até a cidade de Quatro Barras em Curitiba, parando somente para abastecer.

A pernoite foi no Refugio de Montanha 5.13 em Quatro Barras. Ainda de carro, no dia seguinte (11/05), bem cedo, levamos as Bikes até a Rodoferroviária de Curitiba -terminal onde desembarcam os ônibus inter-estaduais/municipais que chegam à Cidade- e de onde partem os famosos trens que passam pela Serra do Mar.

O café da manhã foi na estação onde compramos as passagens para a volta no trem de turismo. Percorremos os 41 kilometros do Centro de Curitiba até o portal da Graciosa pelo acostamento da BR-116.

Após contemplar o pedal de 32km pela Graciosa com suas belezas naturais, mata atlântica preservada e riachos, mesmo com 11km de paralelepípedo na descida (haja braço e suspensão) tinhamos mais um desafio: Chegar a estação de Morretes antes das 15h para retornar de trem.

Conseguimos finalizar o percurso dentro do tempo previsto. Colocamos as Bikes no Trem e aproveitamos as 3 horas de turismo pela Serra do Mar, que tem lindas paisagens no caminho da estrada de ferro usada para escoamento da produção de Madeira para o Porto de Paranaguá. Chegamos de volta a Curitiba às 18:30hs aproximandamente. Guardamos as bikes no carro e cheios de disposição e fome partimos para jantar em Sta Felicidade. Onde mangiato molto bene spaghetti e vinho na tradicional casa de massas da Família Madalosso.

Total de 76km pedalados neste dia. Saída às 10 da manhã da estação, chegada às 14:30 em Morretes

Gasto por pessoa:

Pernoite no Refúgio: 12,00
Passagem de trem Serra do Mar: 22,00
Passagem de cada Bike no Trem: 6,00
Estacionamento na Rodoferroviária:

Distâncias:

Quatra Barras Curitiba 30km (percorridos de carro) /Rodoferroviária até o portal da Serra 42km
Serra da Graciosa 34km

Um pouco de História:

A Estrada da Graciosa, (Rodovia PR-410), é uma estrada pertencente ao governo do Paraná que utiliza a antiga rota dos tropeiros em direção ao litoral do Estado, interligando Curitiba às cidades de Antonina e Morretes.

A estrada atravessa o trecho mais preservado de Mata Atlântica do Brasil, marcado pela mata tropical e pelos belos riachos que nascem na Serra do Mar. Em 1993, declarada pela UNESCO como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.

Datam do início do século XVIII concluída em 1873, tendo sido iniciada logo após a criação da Província do Paraná. Até a metade do século XX, a Estrada da Graciosa permaneceu como única estrada pavimentada do Estado, sendo importante rota de escoamento da produção agrícola (café, erva-mate e madeira) do Paraná rumo ao Porto de Paranaguá e ao Porto de Antonina.

Autor:

Carioca, Jornalista. MTB 25668/RJ - A idéia: "Um sistema eficaz de transporte contribui não somente à função econômica da cidade mas beneficia também a qualidade total de condições de vida de seus cidadãos."

3 comentários em “Pedal na Serra da Graciosa

  1. Vocês dormiram no 5:13 e depois voltaram para Curitiba, para sair de Curitiba?

    O 5:13 é pertinho da estrada antiga da Graciosa, que desemboca lá na estrada mais conhecida, a que vocês pegaram pela BR…

    Bastava sair do 5:13, voltar um pouco pela Borda do Campo, e dobrar na Graciosa.

    1. A idéia era voltar de Trem para apreciar as paisagens, por isto pegar o carro na RODOFERROVIARIA e depois sair a noite. Ah.. e geralmente esta turma quer é pedalar, distância não é problema.. rs rs rs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s