Publicado em Notícias

Milagre ou Coincidência?

Como as pessoas se locomovem no Rio de Janeiro? Com tantas dificuldades, engarrafamentos, buracos, obras, linhas de metrô e ônibus ineficientes. É muito provável que o leitor também tenha muitas histórias para contar. Algumas dessas histórias a bicicleta me proporcionou e outras nasceram nas reflexões de um deslocamento difícil, um engarrafamento desses tantos, qualquer.  Quem sabe você não está numa dessas crônicas?
Confira neste e-book.

https://ler.amazon.com.br/kp/card?asin=B01L4T5T1U&asin=B01L4T5T1U&preview=inline&linkCode=kpe&ref_=cm_sw_r_kb_dp_hXa0xb233W9EP

https://ler.amazon.com.br/kp/card?asin=B01L4T5T1U&asin=B01L4T5T1U&preview=inline&linkCode=kpe&ref_=cm_sw_r_kb_dp_hXa0xb233W9EP

Publicado em Cicloturismo

Que tal um passeio de bike em IlhaBela?

jimny-1Férias, verão, são um convite a uma visita a lugares paradisíacos como a Ilhabela. Um dos locais mais badalados do litoral Norte de São Paulo.

A Suzuki Veículos do Brasil preparou um pacote de atrações. A marca japonesa promete agitar a vila com seu lounge na Praça das Bandeiras, onde vai disponibilizar seus modelos 4 x 4 e bikes para locação.

São 60 unidades disponíveis. Durante três horas a locação é gratuita. A ciclovia de Ilhabela liga a Vila, Centro Histórico da cidade, a Barra Velha, onde ficam as balsas que fazem a travessia do canal da Ilha para o continente (São Sebastião). Grande parte do circuito é a beira mar com passagem por todas as praias da região central da cidade.
A Suzuki disponibiliza um link com roteiros para escolher aquele que combina com você, vá ao site e clique no quadro “O que fazer de bike em Ilhabela”.
Os interessados podem fazer o cadastro no site http://www.jimny4bike.com.br ou diretamente no lounge da Suzuki apresentando documento de identificação e cartão de crédito como garantia de devolução. Não é necessário ser proprietário de veículos da marca.
O Aluguel é gratuito e você pode usar a bicicleta por até três horas.

 

Sugestão de roteiro:

http://www.suzukiveiculos.com.br/jimny4bike/roteiro.html

Publicado em Notícias

A bicicleta no mundo (3) Copenhague

A capital dinamarquesa é a cidade mais popular da Europa entre os ciclistas. São 350 km de ciclovias.

Ciclovias na Dinamarca

A cidade foi sede da conferência da ONU sobre as mudanças climáticas, em dezembro de 2009. Até 2015, as autoridades de Copenhague esperam que metade da população se locomova de bicicleta. 37% das pessoas em Copenhague vão de bicicleta para o trabalho, escola ou universidade. E eles têm preferência nos cruzamentos e nos semáforos.

Além de sediar a conferência Climática, Copenhagen achou uma outra maneira de fazer com que as delegações mundiais contribuam com o meio ambiente: Uma iniciativa do Ministério de Relações Exteriores dinamarquês juntamente com as empresas Eletric Bike e Astrup Cykle e Baisikeli, disponibilizaram gratuitamente 40 bicicletas elétricas e 160 bicicletas comuns para os líderes mundiais.
bcicletas em copenhage

“As bicicletas são um elemento importante para a solução dos transportes na conferência e podem inspirar outros países a se tornar como Copenhagen e incluir o ciclismo em seus planejamentos urbanos como uma alternativa de transporte favorável ao ambiente “, explica Niels Gellert, responsável pelo projeto do Ministério de Relações Exteriores,
O projeto está sendo patrocinado por empresas públicas e privadas da Dinamarca e da Suécia.

Uma pesquisa do departamento de transportes de Copenhague indica que quanto mais pessoas andam de bicicleta, mais segura é a viagem para cada uma delas. O número de ciclistas mortos na cidade caiu pela metade na última década. A cultura da bicicleta já faz parte do cotidiano dos motoristas que não reclamam, porque eles também têm bicicletas.

Assista ao vídeo da BBC:
clicando aqui
Vamos lá empresas Privadas, sensibilizem-se com a causa!
Fontes:
BBC Brasil, Globo.com, Ta.org, dkumanoticia.wordpress.com

Publicado em Notícias

A bicicleta no mundo.

Estes são alguns números sobre a utilizaçãp da bicicleta pelo mundo, conheça, veja e compare. Antes de dizer que a bicicleta não serve como meio de transporte.

– Na Europa, 30% dos trajetos curtos, menos de 3 km, são feitos de carro. Neste espaço, a bicicleta é mais rápida e pode substituir o automóvel.
Andar 3km de carro?? absurdo, você vai levar mais tempo estacionando! a não ser que vá levar uma quantidade grande de coisas na mala!! Vá de bike!

– Em Dublin (Irlanda), 11% têm a bicicleta como o principal meio para ir ao trabalho

– A Suécia é um país frio, mas 33% de todo o deslocamento realizado em Västerãs (115 mil habitantes) é feito por bicicleta

Malmö, Suécia


(Foto:Um contador de bicicletas.)

Malmö é a terceira maior cidade da Suécia. Conhecida por suas áreas verdes e parques é um modelo de desenvolvimento auto-sustentável. Com o objetivo de fazer uma cidade ecológica (ekostaden), vários bairros foram transformados usando projetos inovadores e foram planejados para terem mais sociabilidade, meio ambiente protegido e responsabilidade econômica.

– A Suíça não é um país plano, mesmo assim, a bicicleta é utilizada em 23% dos deslocamentos em Basiléia, com 230 mil habitantes

– Dinamarca e Holanda, países planos, lideram a utilização da bicicleta na Europa com 958 e 1.019 quilômetros percorridos por habitante, respectivamente, a cada ano

– Em Redmond, noroeste dos EUA, os ônibus urbanos têm espaço para transportar duas bicicletas. Até mesmo os paramédicos a utilizam.

Fonte: Folha de São Paulo

Publicado em Notícias

A bicicleta no mundo (5) Alemanha

Os Alemães usam a bicicleta para o esporte, cicloturismo e como meio de transporte. Estima-se que em todo o território alemão circulem mais de 74 milhões de bicicletas e 48 milhões de automóveis.

BIkes-andBIkes-AndBikes
Ajuda-me a encontrar minha Bike em Münster, please???

Bicicletário em Munster, Alemanha
A cidade que dispõe das melhores condições para os ciclistas é Münster, no Estado da Renânia do Norte-Vestfália.
Em Münster, a utilização da bicicleta como meio de transporte já corresponde a 35% do trânsito local, enquanto a média nacional é de 9%. Em Münster está o Museu da Bicicleta.
Cycling_at_night_in_Muenster-Muenster
Ciclista noturno em Münster

Günter Knopf, vice-presidente do Adac*, aponta a necessidade de incentivo por meio das prefeituras para o uso da bicicleta como meio de transporte.
O cuidado com as ciclovias também merece atenção especial. Não é raro que uma ciclovia termine antes do final da rua ou que seja estreita e mal sinalizada. – Ops! Qualquer semelhança com as do Rio é mera coincidência.
* ADAC (Allgemeiner Deutscher Automobil-Club e.V.) é o maior clube de automobilismo da Alemanha e Europa, com 15.290.614 membros em agosto de 2005)

Lá vai uma vovó alemã com sua bike.

O convívio entre motoristas e ciclistas não é dos mais pacíficos. Há rivalidade entre ciclistas e motoristas. A Adac ouviu 4400 usuários de ambos os meios e registrou reclamações comuns de ambas as partes:
As reclamações dos ciclistas são mesmas que temos no Brasil eles não respeitam a preferência das bicicletas em cruzamentos, nem zelam por distância e velocidade seguras nas ultrapassagens, além de estacionarem em cima das ciclovias e costumarem abrir a porta dos carros sobre estas sem olhar antes pelo espelho retrovisor.
Tolerância e postura cidadã de compartilhar o espaço público é que necessitam para melhorar o convívio entre ciclistas e motoristas também na Alemanhã.

Fonte:
ADAC,
http://www.dw-world.de

Publicado em Notícias

A bicicleta no mundo (4). Portugal

Portugal tem projetos para construção de Pistas Cicláveis (como eles chamam as ciclovias)
Foi inagurada dia 1 de Agosto 2009 uma pista ciclável ribeirinha, entre a Torre de Belém e o Cais do Sodré, com extensão de pouco mais de 7 Km. margeando o Rio Tejo.

Inauguração da ciclovia ao longo do Tejo - Lisboa.

Mas o modelo político de lá é bem parecido com o nosso.
Fazem obras onde não é necessário, mas provavelmente mais fácil de se fazer e que são mais “plásticas”. E a desconfiança e insatisfação dos Alfacinhas é grande! Veja nas palavras do blogueiro de “Viver na Alta Lisboa”:
– Mas tenho alguma pena que se comece por investir num trajecto que já se faz bem de bicicleta sem pista ciclável. É onde toda a gente vai dar as suas voltas. Há outros pontos da cidade com necessidades mais prementes que, espero, estejam contemplados nos 80 km de ciclovias previstos.”

Isto não é piada de Patrício! Santa colonização! Agora entendo onde os nossos políticos aprenderam a fazer projetos públicos!

A Alta de Lisboa é um novo e moderno projecto urbanístico que será uma referência no futuro para a cidade de Lisboa.

Fontes:
http://www.cm-lisboa.pt
http://viveraltadelisboa.org

Publicado em Notícias

A bicicleta no mundo (3) Copenhague

A capital dinamarquesa é a cidade mais popular da Europa entre os ciclistas. São 350 km de ciclovias.

Ciclovias na Dinamarca

A cidade foi sede da conferência da ONU sobre as mudanças climáticas, em dezembro de 2009. Até 2015, as autoridades de Copenhague esperam que metade da população se locomova de bicicleta. 37% das pessoas em Copenhague vão de bicicleta para o trabalho, escola ou universidade. E eles têm preferência nos cruzamentos e nos semáforos.

Além de sediar a conferência Climática, Copenhagen achou uma outra maneira de fazer com que as delegações mundiais contribuam com o meio ambiente: Uma iniciativa do Ministério de Relações Exteriores dinamarquês juntamente com as empresas Eletric Bike e Astrup Cykle e Baisikeli, disponibilizaram gratuitamente 40 bicicletas elétricas e 160 bicicletas comuns para os líderes mundiais.
bcicletas em copenhage

“As bicicletas são um elemento importante para a solução dos transportes na conferência e podem inspirar outros países a se tornar como Copenhagen e incluir o ciclismo em seus planejamentos urbanos como uma alternativa de transporte favorável ao ambiente “, explica Niels Gellert, responsável pelo projeto do Ministério de Relações Exteriores,
O projeto está sendo patrocinado por empresas públicas e privadas da Dinamarca e da Suécia.

Uma pesquisa do departamento de transportes de Copenhague indica que quanto mais pessoas andam de bicicleta, mais segura é a viagem para cada uma delas. O número de ciclistas mortos na cidade caiu pela metade na última década. A cultura da bicicleta já faz parte do cotidiano dos motoristas que não reclamam, porque eles também têm bicicletas.

Assista ao vídeo da BBC:
clicando aqui
Vamos lá empresas Privadas, sensibilizem-se com a causa!
Fontes:
BBC Brasil, Globo.com, Ta.org, dkumanoticia.wordpress.com